Boletim Semanal

Monitoramento das Praias de Represas

O monitoramento da qualidade das praias dos reservatórios paulistas foi retomado em 13/10/2020.

Inicialmente foram selecionadas praias com maior frequência de banhistas e com prática de esportes náuticos, prioritariamente no reservatório Guarapiranga e Billings. A divulgação das condições de balneabilidade dessas praias ocorrerá de acordo com o prazo necessário para a sua classificação, estabelecido na legislação pertinente.

NOTA

FLORAÇÕES DE MICROALGAS: CETESB RECOMENDA EVITAR O CONTATO E O USO DE ÁGUA COM NATA VERDE.

A primavera e o verão são estações marcadas pelo aumento da temperatura e dos índices pluviométricos na região Sudeste, o que pode ocasionar um aumento na intensidade dos eventos de florações de cianobactérias/microalgas em reservatórios do estado. Este fenômeno ocorre devido ao crescimento intenso desses micro-organismos causando alterações substanciais na aparência, odor e coloração da água, podendo resultar na formação de uma “nata verde”. A degradação desta nata pode promover coloração azulada na água, bem como a diminuição do oxigênio dissolvido e presença de mau cheiro, sobretudo em dias mais quentes.

Essas florações de cianobactérias/microalgas são decorrentes do enriquecimento do ambiente hídrico por nutrientes, principalmente, fósforo e nitrogênio, resultante, sobretudo, do lançamento de esgotos e de cargas difusas. Salienta-se ainda que fatores climáticos e hidrodinâmicos também podem contribuir para a manutenção de eventos de floração.

Florações caracterizadas por elevadas densidades de cianobactérias, além de causarem prejuízos à vida aquática, podem, devido a capacidade desses organismos de produzir cianotoxinas, como as microcistinas, comprometer os múltiplos usos da água, como recreação de contato primário (balneabilidade), dessedentação de animais, irrigação e pesca.

 

Ressalta-se que, quando for constatada a existência de florações, com a presença de nata verde, recomenda-se à população evitar contato com a água por recreação de contato primário, em função da possibilidade de alergias na pele ou de ocorrer a ingestão acidental da água que pode causar problemas gastrintestinais, além de evitar o consumo de pescado da região. Destaca-se que também há risco para os animais domésticos expostos à essa nata, caso bebam água com grande quantidade dessas microalgas.