CETESB lança Atlas sobre cianobactérias na Bacia do Alto Tietê

Será lançado no próximo dia 15, às 14 horas, no Auditório Augusto Ruschi, o Atlas “Cianobactérias da Bacia do Alto Tietê”, organizado pelo Departamento de Análises Ambientais, da Diretoria de Engenharia e Qualidade Ambiental da CETESB. O lançamento acontecerá durante o Seminário para apresentação dos resultados deste projeto. O Atlas, de 86 páginas na versão impressa, também será disponibilizado no site www.cetesb.sp.gov.br. O trabalho contou com a colaboração dos Setores de Desenvolvimento e Acompanhamento de Projetos (EQPD), de Mídias Eletrônicas (PCSM) da Biblioteca e Memória Institucional (ETGB) de Águas Interiores (EQAI) e de Hidrologia (EQAH).

Em 2011 a CETESB iniciou, com financiamento FEHIDRO, o projeto intitulado “Caracterização das Águas do Alto Tietê Com Relação à Presença de Cianobactérias/Algas e Toxicidade aos Organismos Aquáticos”. Aprovado pelo Comitê de Bacia do Alto Tietê, foi desenvolvido em parceria entre a CETESB e o Instituto de Botânica, da SMA, tendo como objetivo avaliar a qualidade de oito reservatórios da Bacia do Alto Tietê, com relação à ocorrência de cianobactérias e outras espécies de algas prejudiciais, à detecção de cianotoxinas e à presença de toxicidade a organismos aquáticos, tendo o IPT- Instituto de Pesquisas Tecnológicas como Agente Técnico.

Este projeto envolveu diversas áreas da CETESB, dentre elas os Setores de Comunidades Aquáticas (ELHC), de Ecotoxicologia Aquática (ELHE), de Química Orgânica (ELAQ) e as Divisões de Microbiologia e Parasitologia (ELP) e de Amostragem (ELC). Foram contemplados neste trabalho os Reservatórios Billings (2 pontos de amostragem); das Graças; Guarapiranga (2 pontos de amostragem); Jundiaí; Paiva Castro (ou Juqueri); Rio Grande; Taiaçupeba e Tanque Grande.

Além da avaliação desses ambientes foi elaborado um Atlas de ocorrência das 57 espécies potencialmente nocivas identificadas nos mananciais da região, já que uma das dificuldades para um melhor conhecimento desse problema está na correta identificação taxonômica das cianobactérias. O Atlas contém fotos e descrição dos organismos encontrados nos oito mananciais estudados nas amostragens realizadas de outubro de 2011 a setembro de 2012, totalizando seis coletas em cada local.

Essa publicação tem a finalidade de fornecer subsídios para os profissionais responsáveis pelo monitoramento e controle da qualidade das águas para abastecimento público, pela saúde pública e pela preservação dos ecossistemas aquáticos, constituindo importante fonte de pesquisa para técnicos, pesquisadores e estudantes, além de dar contribuição para o conhecimento desses ambientes.