Divisão de Metrologia mantém e amplia escopo de acreditação pelo Inmetro

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) comunicou a Divisão de Metrologia e Calibração (ELM), da Cetesb, a manutenção da acreditação de suas atividades, bem como da extensão de seus serviços acreditados.

DSC00111.JPGU89I

A chegada do ofício no dia 29 de maio último foi comemorada pelos técnicos envolvidos no processo, pois isso significa que o Inmetro reconhece que os laboratórios e serviços prestados pela ELM atendem aos requisitos estabelecidos na Norma ISO IEC 17025:2005, garantindo a qualidade dos serviços executados.

Segundo a gerente da ELM, química Patrícia da Silva Trentin, a manifestação do Inmetro “coroa um trabalho iniciado em 2010, finalizando por uma auditoria em outubro do ano passado”.
Desta maneira, a partir de agora, dentro da grandeza “volume e massa específica”, também estão acreditados os serviços de calibração de vários instrumentos de laboratórios como micropipetas, incluindo instrumentos como microsseringas e repipetadores, na faixa de 1 uL a 10.000 uL (unidade de medida de volume ); e dispensadores, incluindo buretas digitais, na faixa de 2 mL a 50 mL (unidade de medida de volume); além da extensão de vidrarias de laboratório até 2.000 mL, propiciando a calibração de provetas e balões volumétricos de 2.000 mL, e Cones Inmhoff (instrumentos de vidro utilizados nos ensaios de sólidos sedimentáveis)

DSC00277.JPGCCXDER

Segundo Trentin, a divisão recebeu, também, acreditação para os serviços de calibração de câmaras térmicas, dentro da grandeza “temperatura e umidade”, nas faixas de -30º C a 150º C. “Uma câmara térmica é entendida como sendo qualquer equipamento que tenha condição de manter o controle de sua temperatura interna, como as estufas, incubadoras, refrigeradores, ‘freezers’ e outros, sendo amplamente utilizadas em diversos ensaios químicos, físico-químicos e biológicos”, explica.

DSC00279.JPGDDER

Essas calibrações são efetuadas nas instalações do laboratório de ensaio e tem o objetivo principal de avaliar se a câmara está operando dentro da temperatura de processo especificada, baseada em normas reconhecidas internacionalmente. As calibrações utilizam sensores de temperatura calibrados na Rede Brasileira de Calibração – RBC, distribuídos no interior da câmara, registrando-se as temperaturas durante um período mínimo de 30 minutos. Ao final, o laboratório recebe um certificado de calibração onde são indicados os valores de estabilidade, uniformidade e desvio da temperatura de controle relativo à câmara calibrada.

DSC00472

A acreditação dessas atividades amplia os serviços disponíveis aos laboratórios de ensaio da Cetesb, tanto os da sede como os descentralizados, além de conferir confiabilidade, agilidade e, principalmente, economia com a contratação dessas calibrações, que antes eram executadas por meio de contratos com laboratórios externos. “A consolidação do laboratório de calibração nos permite vislumbrar a ampliação para outros serviços requeridos na rotina dos laboratórios da Cetesb, como a calibração de termômetros digitais e, no futuro, instrumentos como pHmetros e condutivímetros, para os quais ainda não temos autonomia”, finaliza Trentin.

Veja o escopo completo do ELM (CAL 0430) no site do INMETRO