CETESB exige da Localfrio isolamento dos produtos não afetados pelo incêndio

A CETESB – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo determinou à Localfrio – Armazéns Gerais Frigoríficos a segregação dos resíduos de dicloro que não queimaram e a sua cobertura para evitar o contato com águas de chuvas, o que poderia desencadear, mesmo em pequena proporção, uma nova reação química e provocar nova emissão de fumaça e incômodos à população.

A companhia exigiu, também, a identificação dos contêineres com dicloro, que não foram afetados pelo incêndio, para isolá-los e mantê-los em local adequado.

Até a interdição da área, para a realização de perícia criminal, já foram retiradas aproximadamente quatro carretas-tanque com efluentes contaminados, resultante da água utilizada pelos bombeiros no combate ao incêndio. O efluente foi transportado para a empresa Opersan, especializada no tratamento de resíduos líquidos, localizada no Município de Jandira.

Coleta de água da Chuva

No dia 15/01/2016, a CETESB realizou coleta de amostra de água de chuva, no período das 17h20 às 20h00, no quartel do Corpo de Bombeiros, na Rua Capitão Alberto Mendes, 225, Bairro Esperança, no Guarujá. Na amostra coletada, foi constatada acidez pouco superior ao que se observou em amostras coletadas em outras áreas urbanas não impactadas pelo acidente.
Foi também analisada, na água de chuva, a concentração de fluoreto, cloreto, nitrato e sulfato. Os valores encontrados não são preocupantes, pois foram compatíveis  com os de outras medições, realizadas em outros momentos em áreas urbanas e industriais. Os resultados obtidos referem-se apenas ao local e período amostrados.