Mancha escura que apareceu em São Sebastião não é tóxica

Em relação à mancha escura no mar, avistada na terça-feira (07/11), na costa de São Sebastião, no Litoral Norte, informamos que, embora a princípio tenha havido a suspeita de que ela fosse decorrente de um derrame de óleo, esta hipótese foi descarta por técnicos da Defesa Civil de São Sebastião que foram ao local.

Como a mancha tinha características de uma floração de microalgas, amostras de água foram coletadas e encaminhadas ao CEBIMar (Centro de Biologia Marinha da USP), que confirmou se tratar de altas densidades de cianobactéria do gênero Trichodesmium.

É importante ressaltar que a microalga encontrada não é nociva à saúde, no entanto, como medida de precaução, recomenda-se, a pessoas mais sensíveis à irritação de pele, que evitem nadar ou praticar esportes náuticos em locais com manchas de coloração suspeita.

Floração de algas é um fenômeno natural e recorrente no litoral de São Paulo. Essas microalgas estão associadas às águas tropicais da Corrente do Brasil, que passa ao largo da costa brasileira. Essas algas flutuam na superfície da água e são levadas pelo vento até a costa. Quando morrem, liberam um pigmento vermelho (ficoeritrina), que dá a coloração chamativa ao fenômeno.

Este fenômeno não está relacionado ao evento que vem ocorrendo em Santa Catarina devido à presença de Dinoflagelados denominados Alexandrium, este sim, produtor de toxina.