Paulo Nogueira Neto se foi, mas eternizou suas lições ambientais

Os dicionários precisam adicionar um novo sinônimo para meio ambiente: Paulo Nogueira Neto. Afinal, o tema no Brasil se divide entre o antes e o depois do Doutor Paulo Nogueira Neto – professor que deixou como legado as muitas lições ambientais que o Brasil conhece. Graças ao seu pioneirismo hoje temos nossas leis consolidadas. O Sistema Ambiental Paulista ficou órfão de sua sabedoria, porém os ensinamentos deixados como herança continuarão a nortear todas as ações na construção de um futuro melhor para outras gerações.

Os amigos do Sistema Ambiental Paulista lamentam profundamente sua partida e deixam aqui depoimentos sobre o mestre com o qual tiveram o privilégio de conviver e aprender.

“Paulo Nogueira fez a diferença em sua comunidade e na vida de todos nós. Deixa um enorme legado e a certeza que a sua luta não foi em vão. Que continuemos trabalhando neste espírito e seguindo seus ensinamentos. Proteger a natureza é preservar a vida”.
Marcos Penido, secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente

“Aprendi com o Dr. Paulo Nogueira Neto o real valor do planejamento ambiental. Visionário, instigava-nos a criar soluções para implementar as APAs que havia criado. Tínhamos que pactuar um novo compromisso com a preservação da biodiversidade e dos recursos naturais. Devemos isso a ele, por todo o sempre”.
Eduardo Trani, subsecretário de Meio Ambiente

“O meio ambiente no Brasil se divide entre o antes e o depois do Doutor Paulo Nogueira Neto. Foi graças a seu pioneirismo que hoje temos consolidadas as leis que regem o tema no Brasil. Nós da Fundação Florestal também estamos nos sentido órfãos de sua sabedoria, porém os ensinamentos que herdamos do professor continuará a nortear as nossas ações na construção de um futuro melhor para as futuras gerações”.
Rodrigo Levkovicz, diretor executivo da Fundação Florestal

“Um grande homem que soube ensinar não apenas como docente mas, em especial, pelo exemplo. Deixou um legado para a proteção ambiental, fez seguidores, admiradores. Cumpriu muito bem a sua missão. Fica aqui o nosso agradecimento ao Professor Paulo Nogueira Neto, a quem tivemos a oportunidade de homenagear em vida, com o nome da Clínica de Direito Ambiental da Faculdade de Direito da USP.
Patrícia Iglecias – Diretora-presidente da CETESB

“Dr. Paulo foi a minha maior inspiração na luta pela conservação da Biodiversidade. Suas lições estão em cada canto do Jardim Botânico de São Paulo e dos meus trabalhos com restauração ecológica”.
Luiz Mauro Barbosa, Instituto de Botânica

“O Dr. Paulo Nogueira Neto deixa um grande legado para o nosso país, sua inteligencia, sua sabedoria e aquela simplicidade. Sempre foi uma pessoa que permitiu livre acesso a ele para obtermos conhecimento, informação. Sem dúvida, uma grande perda. Que inspiração! Ele inspirou gerações e mais gerações no nosso país na conservação de nossas florestas.”
Luis Alberto Bucci, Instituto Florestal

“Lamento a perda, mas tenho certeza de que ele está em paz. Entre tantas virtudes do caro professor, admirava-me a capacidade que ele teve de unir ciência e fé, visível em sua postura pedagógica (uma vez ele me disse que aquilo de que mais gostava era de ser chamado de “professor”, aquele que professa), manifestada em sua disponibilidade, simplicidade e humildade para debater e dar testemunho daquilo em que acreditava. Chegou sua hora de partir, mas sentirei muito sua falta”.
Germano – ex-presidente do Consema

“Ele é uma grande inspiração para nossa equipe e para todo o movimento ambientalista. Foi um fervoroso defensor da Mata Atlântica e teve uma vida dedicada à proteção da natureza, à ciência e às políticas ambientais e deixa um imenso legado, ensinamentos e importantes Unidades de Conservação no Brasil”.
Marcia Hirota, diretora executiva da SOS Mata Atlântica.

“Ele foi um incansável em busca do desenvolvimento sustentável e sempre esteve comprometido com a construção de um mundo melhor. Promoveu não só a reflexão e o debate sobre temas até então considerados de pouca relevância pelo grande público, como ainda estimulou, ao lado de seus parceiros e colegas, um novo olhar sobre Meio Ambiente na sociedade brasileira”.
Pedro Passos, presidente da SOS Mata Atlântica.

“Dr. Paulo foi um grande líder ambientalista que conseguiu deixar um enorme legado de proteção e conservação ambiental para o Brasil. Tive o privilégio de conhecê-lo e por ele tenho um enorme respeito. Seu exemplo de vida e de trabalho deve ser continuado pelas novas gerações de ambientalistas, lutando pela criação de novas áreas protegidas e por mecanismos para sua viabilização”.
Roberto Klabin, vice-presidente da SOS Mata Atlântica

“Dr. Paulo no seu vasto legado nos deixa, entre outros, a aliança entre a política pública com a ciência, que lhe permitiu formar várias gerações na defesa e proteção do Meio Ambiente”.
Maurício Brusadin – ex-secretário do Meio Ambiente

“Entre os muitos feitos do professor Paulo Nogueira Neto um que deve ser destacado. Quando ele estava exercendo sua no Governo Federal, ele conseguiu por justificativas técnicas, não permitir a construção de uma usina nuclear na Jureia. Se hoje a Jureia existe como área de preservação importantíssima, muito se deve a ele”.
Marcelo Sodré, procurador do Estado

“A cada geração há pessoas inspiradoras, corajosas e que tomam para si a responsabilidade pelas coisas do mundo. Paulo Nogueira foi uma dessas pessoas e por ser um visionário, pelo seu esforço pessoal e liderança ajudou a moldar aquilo que hoje chamamos de gestão ambiental. Devemos a ele iniciativas totalmente inovadoras na Institucionalização da proteção ambiental de áreas preciosas, sob risco. Nossa geração é grata e as vindouras também serão”.
Stela Goldenstein, ex-secretária do Meio Ambiente

Uma vida dedicada ao Meio Ambiente

Paulo Nogueira Neto nasceu a 18 de abril de 1922, na cidade de São Paulo. Em 1945 tornou-se bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da USP e em História Natural, na USP, em 1959. Fez parte da Comissão Brundtland, das Nações Unidas, de 1983 a 1986, como um dos dois representantes da América Latina. Foi nessa comissão que surgiu pela primeira vez a expressão “Desenvolvimento Sustentável”.

Era vice-presidente da S.O.S. – Mata Atlântica; Presidente Emérito do WWF-Brasil; Presidente da ADEMA-SP (Associação de Defesa do Meio Ambiente); Presidente da Comissão para implantação da Área de Proteção Ambiental Capivari-monos (SP); Membro do Board do World Resources Institute; Vice-presidente do International Bee Research Association; Membro do Advisory Group do PP-G7. Foi membro do Conselho de Administração da CETESB, no período de 1995 a 2007.

Texto: Dirceu Rodrigues