Reunião gerencial faz avaliação do primeiro ano de gestão da Diretoria da CETESB

Avaliação foi positiva e enalteceu corpo funcional

A CETESB realizou sua Reunião Gerencial de Fechamento dos Trabalhos 2019 nesta segunda-feira (16/12), em evento no auditório Augusto Ruschi, na sede da Companhia em São Paulo. O encontro, com a presença dos diretores, seus assistentes e assessores, gerentes das agências ambientais e todo o corpo gerencial (Departamentos, Divisões e Setores), teve também a palestra “Compliance – balanço do cenário atual e ponto de atenção para a CETESB”, proferida pelo advogado e especialista Caio de Souza Loureiro, seguida da confraternização de final de ano.

A diretora-presidente, Patrícia Iglecias, elogiou o corpo funcional e salientou a importância da contribuição de cada funcionário. Ela agradeceu pela oportunidade de estar à frente da Presidência da CETESB e poder trabalhar de forma harmônica e em conjunto com todas as diretorias, “atuando no crescimento da Companhia”. “Nosso compromisso é com a qualidade de vida e a saúde da população. Depois de mais de 51 anos de existência, só podemos dar o melhor de nós e avançar, pensando em atingir o objetivo maior, que é o ambiente ecologicamente equilibrado”, afirmou.

O diretor de Avaliação de Impacto Ambiental, Domênico Tremaroli, enalteceu a “maneira aguerrida” de atuação dos gerentes e funcionários de sua área e lembrou que o ano “foi bastante desafiador”. Ele chamou a atenção para o fato de que sua diretoria teve suas atribuições ampliadas, com a incorporação do departamento de áreas contaminadas, reforçou a divisão de cenários ambientais e conseguiu cumprir os prazos.

Carlos Roberto dos Santos, diretor de Engenharia e Qualidade Ambiental, por sua vez, também enfatizou o vínculo da Companhia com a saúde pública e realçou o papel das unidades laboratoriais, prestando apoio imprescindível e conferindo confiabilidade às informações transferidas a outras áreas da CETESB, em especial as agências ambientais, sempre com o objetivo de resguardar a saúde da população.

A diretora de Controle e Licenciamento Ambiental, Zuleica Lisboa Perez, observou que, no início da atual gestão, os desafios aos que estavam sendo empossados à frente da empresa eram muitos, “mas, enfim, alcançamos muito do que idealizamos e vimos a Companhia andar, mostrando a que viemos” e a importância da CETESB no âmbito da SIMA (Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente) e do Governo do Estado.

Por fim, o diretor Clayton Paganotto, de Gestão Corporativa, disse se sentir muito orgulhoso de estar trabalhando na Companhia e atuando com gestão de pessoas, que é a sua especialidade. Ele acredita que a empresa precisará cada vez mais de pessoas colaborativas e capacitadas, e mencionou as várias capacitações que tiveram lugar este ano na CETESB. Recordou, ainda, da eliminação dos copos plásticos e da instalação da horta comunitária.

Palestra sobre “compliance”

“Compliance” tem origem no verbo “comply” e, em resumo, diz respeito ao cumprimento de leis e regulamentos, internos ou externos. Segundo o Dr. Caio de Souza Loureiro, doutorando em Direito do Estado pela USP e mestre em Direito do Estado pela PUC-SP, o objetivo da palestra na Companhia foi avaliar cenários de combate a corrupção e apontar riscos específicos no âmbito das atividades da CETESB.

Conforme o especialista, “conhecimento é essencial à integridade corporativa”. Ele observou que o grande foco do tema são as estatais e que o assunto não é novo, embora tenha sido relevado após 2013, com os protestos nas ruas, culminando em 2016 com a operação Lava-Jato e denúncias contra a Petrobras e empresas do setor elétrico.

Ele lembrou que, dentre os elementos de integridade registrados da Lei das Estatais, encontram-se a Transparência, a Governança e a Integridade, esta última incluindo o Código de Conduta e Integridade. Alertou que a agência ambiental, em termos de perfil de exposição, apresenta campos “muito férteis”, por atuar com fiscalização, licenciamento e licitações, entre outras atividades. Mas informou que a Companhia vem cumprindo a lei. “A CETESB está bem, a empresa já incorporou formalmente os requisitos e obrigações impostas pela Lei das Estatais. É um grande avanço, digno de elogio”, declarou.

Dr. Caio de Souza Loureiro explanou sobre “Compliance”

Fotografia: José Jorge Neto