Encerrada a Bio2020 com o anúncio da Carta de São Paulo para a COP 15 na China

Após três dias de mesas redondas e atividades de campo, encerrou-se na quinta-feira 6, a “BIO2020: Perspectivas Brasileiras para o Marco Pós-2020 de Biodiversidade”, realizada com apoio da CETESB. Mais de 350 técnicos e especialistas de várias entidades e áreas de atuação, trocaram experiências e debateram ações, culminando com a assinatura da Carta de São Paulo, documento que resume esforços e propostas de governo e sociedade civil para ser levada à COP15 da Convenção de Diversidade Biológica (CDB), que deverá ser realizada em outubro, em Kunming, na China.

A diretora-presidente da Cetesb, Patrícia Iglecias reforçou que a Carta de SP traz indicativos para o marco que vai se estabelecer a partir de 2020 no que diz respeito à biodiversidade. “Cada um de nós que atuamos no licenciamento e trabalhamos com o conhecimento científico saímos mais fortalecidos deste evento”, declarou.

A conferência realizada pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA), em parceria com as redes ICLEI América do Sul, Regions4 e a Iniciativa “Post 2020 Biodiversity Framework – EU Support” (apoio da União Europeia) e apoio da CETESB, reuniu governos sublocais, comunidade acadêmica, organizações não-governamentais e sociedade civil num grande debate sobre o momento de união de esforços de todas as áreas para a preservação, a recuperação e o desenvolvimento em sintonia com o meio ambiente.

Para o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, a assinatura deste documento é uma grande oportunidade de rever várias ações, a situação em que estamos vivendo, rever políticas públicas e a visão de mundo que queremos ter no futuro. “Vamos mostrar ao mundo que podemos cuidar do cidadão com sustentabilidade, com preocupação com o meio ambiente e que cada passo do desenvolvimento pode ser feito cuidando da biodiversidade”, ressaltou.

“Além de reforçar a integração multinível, recomendamos fortemente que os países integrantes da Convenção revisem o Plano de Ação adotado pela Decisão X/22 e aprimorem o documento, voltando a oferecer mecanismo específico para o engajamento dos governos subnacionais e locais. Estamos dispostos a adotar metas ambiciosas”, destaca trecho da carta, que pode ser encontrada na íntegra aqui: bit.ly/CartaSP.