Encontro reúne Poder Público Estadual e Setor Sucroenergético

Especialistas e representantes do Setor discutiram as ações da Operação Corta-Fogo.

A diretora-presidente da CETESB, Patrícia Iglecias, o secretário estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, e o comandante da Polícia Militar Ambiental do Estado de São Paulo, cel. PM Paulo Augusto Motooka, participaram da abertura do “7º Encontro Técnico de Desenvolvimento Sustentável com a participação do Setor Sucroenergético e do Poder Público Estadual”, promovido de modo virtual, pelo canal oficial da SIMA no YouTube, em 27/04.

Participaram como palestrantes o gerente da Agência Ambiental de São José do Rio Preto, Jordão Domingues Pagani, da CETESB, o diretor da Coordenadoria de Fiscalização e Biodiversidade, Rafael Frigério, da SIMA, e da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, a diretora da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável, Carolina Matos.

Pelo setor sucroenergético, apresentaram-se o presidente da UNICA, Evandro Gussi, e o coordenador do Grupo de Trabalho de Meio Ambiente da Orplana, Guilherme Lui de Pádua.

O evento, realizado anualmente, teve como objetivo discutir aspectos ligados à Operação Corta-Fogo, buscando principalmente mitigar a ocorrência de incêndios em áreas de cultivo de cana-de-açúcar.

Patrícia Iglecias realçou a importância do encontro, particularmente pela presença e envolvimento das diversas instituições representadas e que têm atuado conjuntamente, para a solução dos problemas. “A Operação Corta-Fogo, sob a coordenação da SIMA, tem um papel fundamental para o combate aos incêndios”, enfatizou.

Ela chamou a atenção quanto ao Protocolo Etanol Mais Verde, para atestar as contribuições do setor sucroenergético no Estado de São Paulo, como a emissão evitada de CO2eq (CO2 equivalente), com base na redução da queima nos canaviais, desde 2007, são 11,8 milhões de toneladas de CO2 equivalente.

A dirigente falou dos benefícios à saúde da população, pela melhoria da qualidade do ar, dizendo que, com a diminuição da queima autorizada, a melhoria é equivalente a 206 mil ônibus, a menos, circulando durante um ano. Ela ainda comentou sobre os avanços do licenciamento ambiental no estado, motivado, entre outros, pela evolução tecnológica do setor.

O secretário Marcos Penido, por sua vez, ressaltou a parceria entre as instituições envolvidas, como motivo para o êxito do Corta-Fogo. “A experiência de 2020 foi muito importante para nós, pois vivemos um ano de grandes desafios”, destacou, lembrando que, devido à falta de chuvas, ocorreram incêndios de grandes proporções.

Ele salientou a importância das medidas preventivas e afirmou que a proposta do encontro é justamente visar à soma de esforços, a troca de experiências e que “com todo o aprendizado, possamos fazer com que essa estação de estiagem seja menos impactante do que a anterior e que todas as nossas ações se deem de maneira sinérgica e objetiva, para que possamos diminuir ao máximo os impactos”.

Já o cel. Motooka compartilhou sua percepção de que o evento, a cada ano, ganha amplitude. Segundo ele, em 2015, em Sertãozinho, eram cerca de 80 participantes, número que, em 2017, praticamente dobrou, passando dos 200 em 2020; e por videoconferência permite-se a possibilidade de ainda mais participantes.

“Isso favorece muito o trabalho de integração, de parceria, sobretudo, a construção da cultura de proteção, de prevenção e de combate aos incêndios, durante o período de seca”, concluiu. Elogiou o engajamento e o compromisso por parte do setor sucroalcooleiro.

O eng. Jordão Domingues Pagani fez uma explanação sobre os incêndios em área de cultivo de cana-de-açúcar, e prevenção e mitigação de danos. Entre outros itens, abordou o marco legal da eliminação do uso do fogo, o protocolo agroambiental do setor sucroenergético e as exigências técnicas comumente utilizadas no licenciamento ambiental dos empreendimentos do setor.

Rafael Frigério fez uma exposição geral sobre a Operação Corta-Fogo, mencionando as consequências dos incêndios florestais, a frequência de ocorrência dos incêndios, as ações, objetivos e organização da Operação.

Carolina Matos expôs sobre o Protocolo Agroambiental Etanol Mais Verde, no qual é secretária executiva. Ressaltou que, o protocolo firmado em 2017 pelo Governo de SP, representado pelas Secretarias de Agricultura e Abastecimento e de Infraestrutura e Meio Ambiente, por meio da CETESB, com o setor sucroenergético, é hoje um programa reconhecido internacionalmente como um caso de sucesso de estímulo ao desenvolvimento sustentável.

Assista a íntegra no link https://www.youtube.com/watch?v=Nyg64kq-CrY

Texto: Mário Senaga
Revisão: Cristina Leite
Printes: José Jorge
Programação Visual da matéria no site: Kissy Harumi