Califórnia dá grande passo para eletricidade livre de carbono

por Mara Gama*,mara@uol.com.br

Projeto tem meta de energia limpa até 2045 e ainda precisa de aval do governador


Parque eólico no caminho da praia do Marco
Foto: Folhapress

Em julho, o estado americano da Califórnia anunciou que suas emissões de gases do efeito estufa foram menores que em 1990, um marco ambiental favorável. Na terça, 28, outro passo importante para o combate às mudanças climáticas começou a ser dado.

Uma lei que exige que 100% da eletricidade do Estado venha de fontes livres de carbono foi aprovada pelos deputados estaduais.  A lei precisa ainda passar pelo senado estadual e ser sancionada pelo governador do Estado, o democrata Jerry Brown.

Atualmente, o Estado já obtém 30% da eletricidade a partir de fontes limpas. O projeto exige mudança total para a energia limpa, como solar e eólica, até 2045. Prevê que concessionárias obtenham 60% de sua energia de fontes renováveis até 2030, aumentando uma meta atual de 50%.

Se virar lei, a Califórnia será o segundo estado americano a exigir eletricidade livre de carbono até 2045. O primeiro foi o Havaí. Mas a Califórnia tem mais poder de influência junto aos demais Estados dos EUA. O Estado tem feito oposição às diretrizes do governo de Donald Trump, que tem atuado para defender a economia baseada nos combustíveis fósseis.

O físico nuclear e ex-secretário de Energia do governo Obama Ernest Moniz disse ao site Axios que a aprovação da lei seria um grande passo. “Ter a quinta maior economia do mundo dizendo que caminha para energia livre de carbono em aproximadamente 25 anos é muito importante”. Moniz apontou dois desafios para o atingimento da meta: 1) armazenamento das energias vidas das fontes eólica e solar e 2) relações cooperativas para uso da terra.

Comparativamente com usinas nucleares ou de gás natural, a energia do vento e a energia solar precisam de muito mais terreno disponível para a geração. Por isso, para que sejam parte da matriz energética do estado, será necessário ter um bom acordo com os proprietários de terra, para que as linhas sejam implantadas.

O ex-governador republicano Arnold Schwarzenegger apoiou publicamente o projeto. Schwarzenegger é um tradicional defensor de medidas de combate ao aquecimento global, se contrapondo ao seu partido, o mesmo do presidente Donald Trump.

A expectativa dos ambientalistas é que o governador da Califórnia aprove a lei. O senador Kevin de Leon, autor do projeto, disse que a aprovação seria a “vitória do ar puro”.

* Mara Gama, é jornalista e consultora de qualidade de texto.

Fonte: Folha de S. Paulo > Colunas e Blogs