Técnicos expuseram experiências de revitalização de áreas contaminadas na Alemanha, Argentina, Chile e Brasil

A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental – CETESB e a Agência Alemã de Cooperação Técnica – GTZ encerraram, na tarde desta terça-feira (12/12), o “Encontro de Representantes no Âmbito da Revitalização de Áreas Contaminadas”. O evento, com dois dias de duração, reuniu, em São Paulo, técnicos que atuam na revitalização de áreas contaminadas para a troca de experiências. Estavam representadas as cidades de Stuttgart (Alemanha), Buenos Aires, Viña Del Mar (Chile), Rio de Janeiro, São Paulo e Santo André.

Um outro objetivo do encontro foi o de elaborar uma proposta sobre o papel dos atores envolvidos (“stakeholders”) que estarão participando diretamente da Rede Latino-Americana de Prevenção e Controle da Contaminação do Solo e das Águas Subterrâneas, que está em processo de criação, sob coordenação da CETESB.

A abertura do evento foi feita pelo diretor de Engenharia, Tecnologia e Qualidade Ambiental da CETESB, Lineu Bassoi, e pelo presidente da GTZ no Brasil, Detlev Ullrich. A idéia de criar uma Rede Latino-Americana surgiu em 2005, quando técnicos da CETESB estiveram na Alemanha para treinamento, cumprindo uma das etapas do acordo de transferência de tecnologia para identificação e gestão de áreas contaminadas, firmado em 1993 entre a agência ambiental paulista e a GTZ.

A proposta oficial para a formação da rede foi consolidada no seminário internacional realizado na CETESB em agosto de 2006, que contou com representantes de instituições governamentais e privadas do Brasil, México, Chile, Argentina, Uruguai e Alemanha. Nessa ocasião, a CETESB foi indicada para assumir a condução da proposta de formação da Rede.

Os trabalhos do encontro desta semana foram coordenados pelo gerente do Departamento de Tecnologia do Solo, Águas Subterrâneas e Resíduos Sólidos da agência ambiental paulista, Giuseppe Michelino, que informou ser missão da Rede estimular a produção, disseminação e intercâmbio de conhecimentos e informações sistematizadas no âmbito da gestão e da revitalização de áreas contaminadas, assim como da prevenção da contaminação de solos e águas subterrâneas. “As informações produzidas neste intercâmbio Latino-Americano serão utilizadas por órgãos públicos, empresas privadas, universidades, associações e ONGs. A iniciativa será apoiada por organizações públicas e privadas na busca de melhorias nas atuações e soluções de problemas concretos”, afirmou Michelino.

Os “stakeholders” a fazerem parte da rede deverão ser profissionais ligados ao tema e que realizem trabalhos nas municipalidades, tomadores de decisão, planejadores urbanos, empreendedores, órgãos financiadores, órgãos reguladores federais, estaduais, municipais e universidades.

Segundo Michelino, o encontro foi “muito produtivo” porque as apresentações mostraram a experiência e o estágio atual de cada cidade na questão de revitalização de áreas contaminadas. “O representante de Stuttgart, Hermann Kirchholtes, por exemplo, além de mostrar sua experiência à frente da diretoria de gestão e revitalização de áreas contaminadas em sua cidade, também explicou o funcionamento das redes européias, elucidando bastante a questão”, salientou.

Acordo de cooperação técnica

O término do encontro não significou o final dos trabalhos para os técnicos da CETESB que participam da criação da rede. Eles seguem reunidos num “workshop” fechado, do qual participa o representante de Stuttgart, até a próxima sexta-feira. |Para o encerramento do “workshop”, está prevista a celebração de um acordo de cooperação técnica, com dois anos de duração, a ser assinado pelo presidente da agência ambiental paulista, Otávio Okano, e um representante da Agência Federal de Meio Ambiente da Alemanha – UBA, coordenadora do portal europeu EUGRIS, que reúne as redes européias.

Texto
Cristina Olivette