CETESB constata melhor qualidade das praias paulistas em 2012

Antecipando a divulgação do seu relatório anual de qualidade, normalmente disponibilizado no mês de março, a CETESB anuncia que a maioria das praias paulistas apresenta uma melhora das condições de balneabilidade este ano – até novembro de 2012 – , em relação a 2011, o que reflete uma forte tendência positiva para os próximos três meses, quando os veranistas se preparam para a próxima temporada de férias.

A porcentagem de praias com as águas próprias para a balneabilidade o ano todo passou de 23% para 34%, com aumento de praias ótimas de 3% para 11% e redução das praias péssimas de 14% para 6%.

Um dos avanços se dá no Litoral Norte, onde foi observada a melhora nos quatro municípios – São Sebastião, Ilhabela, Ubatuba e Caraguatatuba – , nos quais as praias próprias o ano todo passaram de 36% para 51%, com aumento das praias ótimas de 5% para 18%. Também houve redução das praias regulares e ruins de 17% para 9%.

Na Baixada Santista, também foi constatada melhora da qualidade em 2012, sendo que as praias próprias o ano todo passaram de 6% para 10%, além da redução das praias péssimas de 28% para 13%. Nessa região, houve melhora em seis municípios, ressaltando-se os de Bertioga, Santos e Praia Grande. Apenas em três municípios, foi observada piora da qualidade das praias: Itanhaém, Peruíbe e Guarujá.

Os melhores índices registrados em 2012 se devem, provavelmente, aos investimentos feitos em saneamento, através do programa “Onda Limpa”, da Sabesp, realizados principalmente na Baixada Santista. Além disso, os baixos índices de chuvas observados no segundo semestre, de agosto a outubro último, tiveram reflexos favoráveis nos índices de balneabilidade.

Lançado em 2007, o Programa Onda Limpa tem como objetivo despoluir as praias da Baixada Santista e do Litoral Norte de São Paulo. Entre as obras realizadas, estão a construção de estações de tratamento de esgotos, de redes coletoras e de toda infraestrutura necessária para ampliar a coleta e tratamento de esgotos nas regiões.

O projeto visa beneficiar mais de 1,8 milhão de habitantes de Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos, São Vicente, Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba.