CETESB orienta criação de central de atendimento a emergências químicas

Cumprindo um contrato de prestação de serviço, celebrado entre a CETESB – Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental e a FEMA – Fundação Estadual do Meio Ambiente, de Mato Grosso, três técnicos do Setor de Operações de Emergência – EIPE fizeram o repasse teórico e prático sobre atendimentos a emergências com produtos químicos envolvendo cerca de 70 profissionais daquele Estado.

O curso foi realizado de 28 de março a 2 de abril, encerrando-se com um exercício simulado, com o objetivo de proporcionar aos empregados da FEMA a aplicação dos conhecimentos teóricos apresentados em sala de aula. O simulado também marcou a entrada em operação da Central e do Serviço de Atendimento a Acidentes Ambientais de Mato Grosso.

A inauguração dessa central contou com a presença do secretário de Meio Ambiente e presidente da FEMA-MT, Moacir Pires de Miranda Filho, do presidente da CETESB, Rubens Lara, do diretor de Engenharia, Tecnologia e Qualidade Ambiental, Lineu José Bassoi, e da gerente do Departamento de Tecnologia e Informações Ambientais, Angela de Campos Machado.

O grupo de autoridades, que também incluía representantes de órgãos públicos regionais, acompanhou todos os procedimentos do treinamento prático. O exercício possibilitou aos participantes do curso contato e integração com os membros das demais instituições públicas envolvidos no atendimento às emergências com produtos químicos.

O simulado consistiu num “engavetamento” de três veículos, sendo dois caminhões-tanque transportando produtos perigosos e um carro de passageiros. Um caminhão transportava gasolina e o outro ácido clorídrico, ocorrendo o vazamento dos dois produtos e a conseqüente contaminação do solo e ar. O acidente gerou uma vítima grave que foi resgatada por meio de um helicóptero.

Participaram do simulado as seguintes instituições: FEMA, Corpo de Bombeiros, Polícias Rodoviárias Estadual e Federal, rntidades de controle de tráfego regional, Polícia Militar Ambiental, Empresa de Fornecimento de Energia Elétrica, Empresa de Abastecimento de Água, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU e empresas de transporte rodoviário de produtos perigosos.

O curso teve duração de 40 horas e foi ministrado pelo gerente do EIPE, Edson Haddad, engenheiro Anderson Pioli e tecnólogo Marco Antonio José Lainha, que coordenou a proposta de elaboração e estruturação da Central, trabalho que demandou cerca de quatro meses.

Conforme Edson Haddad, “o curso teve por objetivo transmitir conhecimentos teóricos e práticos sobre atendimento a emergência com produtos químicos, abordando técnicas de avaliação, combate e monitoramento dos acidentes ambientais envolvendo produtos químicos. Essa prática é muito importante para os empregados que irão trabalhar nas atividades da Central e no Serviço de Atendimento a Acidentes Ambientais”, afirmou.

Os participantes foram orientados sobre a importância de realizar as atividades em campo de forma integrada com os outros órgãos públicos, conhecer a jurisdição, responsabilidades e o nível de competência de cada um.

Foram também sensibilizados sobre a importância de planejar previamente suas atividades, adotando procedimentos técnicos, administrativos e operacionais de acordo com os riscos envolvidos.

O curso abordou temas como: Identificação e classificação de produtos perigosos; Fontes de informação sobre produtos químicos; Riscos associados às classes de produtos químicos; Equipamento de proteção individual e de monitoramento ambiental; Atendimento a emergências químicas; Atendimento a vazamentos em postos e sistemas retalhistas de combustíveis; Materiais absorventes; Descontaminação; Casos práticos de acidentes; e Exercício simulado teórico.

Texto e fotos:
Setor de Operações de Emergência – EIPE