No aniversário de 47 anos, conheça 10 fatos importantes sobre a Cetesb

Há exatos 47 anos, no dia 24 de julho de 1968, nascia o Centro Tecnológico de Saneamento Básico. Quase cinco décadas depois, a história mostra que aquele núcleo inicial, que agrupou profissionais de várias especialidades com a nobre missão de resolver os problemas de controle ambiental no estado de São Paulo, se transformou na maior agência ambiental do país e referência na América Latina e Caribe.

Hoje, denominada Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, a Cetesb, vinculada à Secretaria do Meio Ambiente (SMA) e integrante do Sistema Ambiental Paulista, é a agência do governo estadual responsável pelo controle, fiscalização, monitoramento e licenciamento de atividades geradoras de poluição, com a preocupação fundamental de preservar e recuperar a qualidade das águas, do ar e do solo.

Conheça, a seguir, 10 fatos importantes sobre a história e a atuação da Cetesb.

Fachada da Cetesb em 1975

1) Denominada inicialmente de Centro Tecnológico de Saneamento Básico, teve como primeiras missões controlar as fontes de poluição industrial e veicular (motores a diesel) e monitorar a qualidade do ar e das águas, além de prestar serviços especializados. Mais: histórico

2) Em 7 de agosto de 2009, a Lei nº 13.542 deu à Cetesb novas atribuições, principalmente na área de licenciamento de empreendimentos de impacto ambiental e de autorizações em mananciais e áreas verdes. Mais: histórico

Fachada da Cetesb e da Secretaria do Meio Ambiente, em 2013

3) Hoje, a companhia conta com aproximadamente dois mil funcionários, divididos entre a sede, na cidade de São Paulo, e as 46 agências ambientais, distribuídas na Região Metropolitana, no interior e no litoral do estado. Mais: agências

4) Em 18 laboratórios, são realizadas análises físico-químicas, de toxicologia humana e saúde ambiental, hidrobiológicas e de microbiologia e parasitologia. Destacam-se também, na área de engenharia e qualidade ambiental, os laboratórios de emissão veicular. Mais: laboratórios

Laboratórios com tecnologia de ponta realizam os mais diversos testes

5) A Cetesb analisa pedidos de licenciamento de empreendimentos de microempresas a grandes indústrias, desde que haja fonte potencial de poluição envolvida. Mais: licenciamento

6) A avaliação diária da qualidade do ar que respiramos é outra atribuição da agência ambiental paulista. São 57 estações medidoras automáticas, localizadas em pontos estratégicos do estado, que medem diferentes poluentes. A Cetesb ainda fiscaliza rotineiramente as emissões veiculares de caminhões, ônibus e vans, movidos a diesel, autuando motoristas que emitam fumaça preta acima do padrão legal. Mais: ar

A Cetesb realiza análise periódica da balneabilidade das praias e as classifica como próprias ou impróprias para o banho

7) A avaliação e monitoramento da qualidade das águas, de praias, rios, reservatórios, assim como de águas subterrâneas e de mananciais, gera boletins diários, semanais e mensais, além de relatórios de qualidade anuais, com a finalidade de informar a população do estado sobre as condições de qualidade dessas águas. Mais: praias, águas interiores, águas costeiras, águas subterrâneas, mananciais, Infoáguas

8) Em relatório das condições da qualidade do solo são apontados metais e compostos orgânicos em áreas agrícolas e de reflorestamento. Em outra ponta, a Cetesb identifica, monitora e faz a gestão de recuperação de áreas contaminadas. Mais: solo, áreas contaminadas

A atuação da Cetesb em acidentes e emergências ambientais é reconhecida internacionalmente

9) O Setor de Atendimento a Emergências atua em situações que representam riscos ao meio ambiente, causados por eventos acidentais ocorridos em fontes ou atividades que manipulam substâncias químicas. Em 2014, em conjunto com a Agência Ambiental de Santos, o setor contribuiu para evitar maiores danos ambientais decorrentes do incêndio no terminal químico da Ultracargo, no distrito industrial da Alemoa. Mais: emergências químicas

10) Por fim, existe a área de cursos, treinamentos e publicações, por meio da qual a agência partilha conhecimento com técnicos e especialistas ambientais, de vários países, em especial da América Latina. Mais: agenda de cursos