CETESB integra o Comitê de Gestão Ambiental criado pelo Governo

Na oportunidade, o governador João Doria liberou R$ 38 mi para projetos de recuperação de recursos hídricos

A diretora-presidente da CETESB, Patrícia Iglecias, integrará o Comitê de Apoio à Gestão Ambiental do Estado de São Paulo, anunciado nesta segunda-feira 23, pelo governador João Doria, durante reunião de instalação na sede do governo. O Comitê é formado por 15 pessoas da sociedade civil, entre as quais representantes da ONG SOS Mata Atlântica, da Universidade de São Paulo e da Fundação Getúlio Vargas.

“O Comitê é importante porque vai orientar todas as ações do Governo na área ambiental, além de nos ajudar com uma visão crítica para que os projetos sejam os mais adequados e modernos para o setor”, disse Doria. Integram o comitê representantes da sociedade civil e especialistas do Estado.

Para a diretora-presidente Patrícia Iglecias, a participação de profissionais altamente qualificados neste grupo, garantirá ao Estado respeitabilidade na busca da melhor gestão ambiental, para que a população presente e futura possa desfrutar de um meio ambiente mais preservado e sustentável”, disse.

O Comitê é presidido pelo professor José Goldemberg ex-reitor da USP (1986 – 1990), ex-secretário do Meio Ambiente de São Paulo (2002 a 2006), e desde agosto de 2015 é presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, tendo como suplente o Secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido. Conta, ainda, com a participação dos titulares das pastas de Saúde, José Henrique Germann Ferreira; Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira; Fazenda e Planejamento, Henrique Meirelles; Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen; o subsecretário de Meio Ambiente, Eduardo Trani; o presidente da SABESP, Benedito Braga; e a diretora-presidente da CETESB, Patrícia Iglecias.

Na ocasião, o governador João Doria também assinou 94 contratos com 73 municípios para execução de projetos de segurança hídrica, proteção, conservação e recuperação da qualidade das águas. Os recursos são provenientes do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FEHIDRO) e os repasses ocorrem por meio das Secretarias de Infraestrutura e Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional.