Engenheiro da CETESB propõe Sistema de Georreferenciamento para atendimento a emergências

Tese de Mestrado propõe a criação de um Sistema Nacional Georreferenciado para Registro de Emergências Químicas e Radiológicas

No dia 09/05/2022, o engenheiro Anderson Pioli, do Setor de Atendimento a Emergências, conquistou o título de mestre pelo Instituto de Pesquisa Energéticas e Nucleares – IPEN, da Universidade de São Paulo, depois de ter concluído o curso de mestrado em Tecnologia Nuclear – Materiais.

A dissertação versou sobre a elaboração do Sistema Nacional Georreferenciado para Registro de Emergências Químicas e Radiológicas, uma ferramenta digital que poderá ser utilizada por diversos órgãos em todo o país, na gestão e na avaliação de impactos sociais e ambientais decorrentes de emergências químicas e radiológicas.

Atualmente, não há no Brasil, conforme apontado pela pesquisa do mestrado, um sistema que registre e apresente dados estatísticos confiáveis sobre emergências químicas e radiológicas, e que atenda satisfatoriamente às legislações ambientais vigentes. Tampouco, qualquer metodologia que registre ou divulgue dados ao público em geral.

O desenvolvimento do trabalho permitiu o mapeamento de 24 sistemas de registros ou formulários de atendimento a emergências, utilizados por instituições nacionais e internacionais, totalizando o levantamento de 169 parâmetros de coleta de informações adotados pelas referências mapeadas.
Isso possibilitou a elaboração do sistema nacional, submetido à avaliação de 84 especialistas brasileiros da área de atendimento a emergências químicas e radiológicas.

A partir daí, foram identificados pelos especialistas 56 campos que poderão, no futuro, compor o Sistema Nacional Georreferenciado para Registro de Emergências Químicas e Radiológicas. Com base nesses campos, foi construído o protótipo do Sistema para utilização em plataformas Web e Mobile.

A dissertação concluiu que sem registro georreferenciado fica muito difícil conhecer áreas com maior incidência de acidentes, não possibilitando que as agências responsáveis pela fiscalização e controle de atividades que manipulam produtos químicos e radiológicos trabalhem aspectos preventivos, preparando-se para o atendimento às emergências.

Por fim, destaca-se que o estudo demonstrou, de forma prática, sua total aplicabilidade, que pode ser verificada pela equipe do Setor de Atendimento a Emergências e pela Diretoria de Engenharia e Qualidade Ambiental da CETESB.

Em conjunto decidiram por revisar a estrutura do Sistema de Informações de Emergências Químicas – SIEQ, adotando como base a estrutura do Sistema Nacional Georreferenciado para Registro de Emergências Químicas e Radiológicas – SISNAGREQ proposta na dissertação.

Texto: Cristina Leite
Fotografia: Pedro Calado