Gestão integrada dos resíduos sólidos urbanos na América Latina e Caribe

As últimas tendências na gestão de resíduos na América Latina e Caribe foram apresentadas no “Terceiro Encontro Técnico Latino-Americano de Alto Nível, Gestão de Resíduos Sólidos”, entre os dias 22 e 23/09, durante evento realizado no auditório da CETESB. Neste evento foi apresentado os resultados do projeto AVAL 2010, uma avaliação regional da gestão integrada dos resíduos sólidos na América Latina e Caribe, elaborado pela AIDIS – Associação Interamericana de Engenharia Sanitária e Ambiental, Organização Pan-Americana da Saúde – OPAS, com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID.

Flávio Ribeiro, assessor da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, lembrou na abertura do evento que a questão de resíduos sólidos urbanos vem sendo discutida há mais de 40 anos na instituição. Em função da importância do tema, a SMA instituiu a Política Estadual de Resíduos Sólidos, oferecendo a possibilidade das empresas e setores em desenvolver programas de responsabilidade pós-consumo, e o comprometimento desses setores produtivos em buscar soluções conjuntas visando a proteção da saúde humana e os ecossistemas, além de assegurar o uso eficiente dos recursos naturais.

“Com o aumento do Produto Interno Bruto (PIB) e o aumento de renda da população, conseqüentemente houve um aumento do consumo; nesse sentido, temos que desacoplar o grande desenvolvimento econômico social com o aumento dos altos impactos ambientais, esse é o nosso grande desafio”, observou.

Ribeiro reforçou o compromisso do Estado de São Paulo em fazer cumprir a política de resíduos, em comum acordo com o governo federal. “ É importante que as empresas percebam a política reversa, e a Secretaria, nesse sentido, tem inovado nas Políticas Públicas”, disse.

Para o diretor de Engenharia e Qualidade Ambiental da CETESB, Carlos Roberto dos Santos, a questão dos resíduos sólidos urbanos tem sido o maior desafio da atualidade na política de gestão pública. “Se pensarmos que o Brasil produz 160 mil toneladas por dia de resíduos e 10% é produzido na cidade de São Paulo, isso nos preocupa muito, pois temos que buscar soluções viáveis, econômica e ambientalmente corretas para o problemática do lixo, principalmente a sua periculosidade”, destacou.

Por sua vez, o presidente da AIDIS, Rafael Dautant, falou que os resultados do projeto da AVAL 2010 é um ambicioso plano e um grande passo na América Latina, proporcionando uma visão clara dos problemas que as cidades da América Latina enfrentam, em busca soluções. O trabalho traz, entre outros dados importantes, o significativo progresso na gestão de resíduos sólidos urbano nos últimos anos, comparado com os dados recolhidos por uma pesquisa regional anterior (AVAL 2002).

A avaliação mostra que, enquanto a população urbana na América Latina aumentou em 63 milhões durante o período, mais de 111 milhões de habitantes urbanos receberam serviços de coleta, no período avaliado. Ou seja, mais da meta da população urbana na América Latina tem seus resíduos dispostos em aterros sanitários adequados, diante de menos de uma quarto, há oito anos. Isso equivale a 167 milhões de pessoas adicionais atendidas.

O resultado do projeto “Avaliação Regional da Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Urbano na América Latina e Caribe” contou com a participação e colaboração de profissionais e especialistas e instituições públicas e privadas e organizações não governamentais, vinculadas ao setor de resíduos sólidos da América Latina e Caribe.

Texto: Rosely Ferreira