Conservação em terras privadas é tema de seminário na Semana da Mata Atlântica

A Mata Atlântica, um dos biomas mais ricos em diversidade de espécies, abrange aproximadamente 15% do total do território brasileiro. Por sua importância foi criado o Dia Nacional da Mata Atlântica, em 27 de maio, para conscientizar sobre a conservação da floresta.

Com este intuito, a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) e a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB) participaram do Seminário Nacional sobre Conservação em Terras Privadas, promovido pela Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, na quinta-feira, 30 de maio, no auditório Augusto Ruschi.

Na abertura do encontro, o subsecretário de Meio Ambiente Eduardo Trani citou algumas ações da SIMA para a proteção do meio ambiente, como o estudo para criação de novas áreas protegidas, o Programa Nascentes, de restauração ecológica, planos de manejo e a concessão de áreas de uso público com foco em conservação. “São Paulo está comprometido em aumentar as áreas de conservação e segue firme no propósito de avançar na agenda ambiental e proteger o meio ambiente para valorizar nosso Estado”.

Além dessas ações, a diretora-presidente da CETESB Patrícia Iglecias ressaltou a importância do trabalho conjunto com o proprietário das áreas para proteção do meio ambiente, como ocorre com a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN). “Devemos pensar em outros desenhos jurídicos para a proteção da biodiversidade. Temos o programa CETESB de Portas Abertas, que contribui para avançar na agenda ambiental, que signifique melhorias do ponto de vista da proteção da Mata Atlântica”.

De acordo com o presidente do Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA) Clayton Lino, todas as ações são relevantes para proteger o bioma que abriga a maior diversidade biológica do país, com importância econômica, social e ambiental. E a conservação pública e privada é fundamental para preservar a biodiversidade e para o desenvolvimento sustentável.

Presentes o coordenador da Rede de ONGs da Mata Atlântica (RMA) João de Deus Medeiros, o representante da UNESCO Massimiliano Lombardo, e o representante da Reserva da Biosfera da Bahia Durval Libânio Netto Mello.

O seminário, que se encerra na sexta-feira, 31 de maio, integra a programação da Semana Mata Atlântica 2019, promovida pela Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA), pela Rede de ONGs da Mata Atlântica e a apoio da SIMA, entre 28 e 31 de maio.

Publicações

A abertura do seminário teve o lançamento dos livros: Mata Atlântica e Sociobiodiversidade – desafios e caminhos para a sustentabilidade, que aborda o uso sustentável dos produtos da Mata Atlântica, e RPPN Cultura e Natureza, um livro-expedição sobre 81 RPPN, que descreve as características mais importantes de cada área, a biodiversidade existente e o seu papel na conservação dos recursos naturais remanescentes em terras privadas.

Texto: Luciana Reis
Foto: Gilberto Ruiz