Presidente da CETESB participa de Seminário sobre Passivos Ambientais

Carlos Roberto traçou um perfil do trabalho desenvolvido desde 2002 pela CETESB na identificação, controle e monitoramento das áreas contaminadas no estado

O presidente Carlos Roberto dos Santos participou, nesta quarta-feira (18), da abertura do Seminário “Passivos Ambientais e Urbanismo”, promovido pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional da Escola Superior do Ministério Público de São Paulo, realizado no bairro da Bela Vista, Capital.

O evento foi organizado em parceria com a Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente (ABRAMPA) e o Instituto Água Sustentável. O tema do encontro foi debatido em quatro mesas de debates, sendo que na terceira mesa, contou com a participação do diretor de Controle e Licenciamento Ambiental da CETESB, Geraldo do Amaral, onde tratou sobre a eficácia na gestão das áreas contaminadas críticas. Tivemos ainda neste evento a apresentação da Gerente do Setor de Águas Subterrâneas, Rosângela Modesto, enfatizando o papel da CETESB no monitoramento da qualidade das águas subterrâneas do Estado de São Paulo.

Na abertura do encontro, Carlos Roberto traçou um perfil do trabalho desenvolvido desde 2002 pela CETESB na identificação, controle e monitoramento das áreas contaminadas no estado, quando foi divulgada pela primeira vez a lista desses locais, com o registro de 255 áreas contaminadas no Estado de São Paulo.

O registro das áreas é frequentemente atualizado e, após a última atualização, ocorrida em dezembro de 2017, foram totalizados 5.942 registros no Cadastro de Áreas Contaminadas e Reabilitadas no Estado de São Paulo.

“Hoje, o nosso grande desafio é o de promovermos uma ampla discussão, com a participação efetiva dos órgãos responsáveis pela saúde, recursos hídricos e planejamento urbano, nos níveis estadual e municipal, para o gerenciamento adequado do processo de remediação dessas áreas, para serem utilizadas novamente, gerando desenvolvimento econômico e geração de empregos”, ressaltou Carlos Roberto.