Treinamento Internacional sobre POPs e Mercúrio tem início na Escola Superior da CETESB

Na qualidade de Centro Regional para a Convenção de Estocolmo (CRCE) sobre Poluentes Orgânicos Persistentes – POPs, para a Região da América Latina e Caribe, a CETESB iniciou hoje (01/12) o treinamento internacional sobre “Determinação e Monitoramento de Poluentes Orgânicos Persistentes (POPs) e de Mercúrio (Hg) em Matrizes Ambientais e Biológicas”, na Escola Superior da CETESB e laboratórios da Companhia.

O treinamento se estenderá até o próximo dia 05/12 e tem por objetivo fortalecer a capacidade analítica dos países da América Central, sendo resultado de um projeto da CETESB/CRCE aprovado pelo Secretariado das Convenções de Basileia, Roterdã e Estocolmo, no âmbito do Small Grant Programme (SGP), administrado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). Oito técnicos e especialistas de Costa Rica, Cuba, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Panamá e República Dominicana estão participando do curso, que está sendo ministrado no idioma espanhol.

Carlos Roberto dos Santos, diretor de Engenharia e Qualidade Ambiental da CETESB, deu as “bienvenidas” aos presentes e saudou a todos com as seguintes palavras: “Vai valer a pena! Mais uma vez, estamos iniciando um processo de amizade duradoura. Este processo tem início, meio, mas não tem fim, porque essa troca é para sempre. Digo ‘troca’, porque na realidade trata-se de um intercâmbio de experiências, ensinando e aprendendo ao mesmo tempo, e é permanente”.

Conforme ressaltaram os organizadores do treinamento internacional, fortalecer a capacidade analítica para análises dos POPs é uma das principais necessidades expressas pelos Países Partes da Convenção de Estocolmo, com a finalidade de cumprir com as obrigações emanadas pela Convenção, e a iniciativa de incluir no conteúdo programático a análise de Mercúrio em matrizes biológicas, para a qual a CETESB possui método inovador e inédito, auxiliará os países a também atender as demandas da recém-promulgada Convenção de Minamata, estimulando assim a sinergia entre as convenções dos produtos químicos e resíduos perigosos.

O curso conta com a coordenação geral da Divisão de Acordos Multilaterais, do Departamento de Cooperação Institucional e Internacional da CETESB, e com a coordenação técnica da gerente da Divisão de Análises Físico-Químicas, farm. bioq. Maria Yomiko Tominaga, do Departamento de Análises Ambientais da Companhia.

Alguns dos temas abordados são os seguintes: “Técnicas de extração e limpeza de extrato de amostras ambientais para determinação de pesticidas organoclorados, PCBs indicadores, dioxinas, furanos e dl-PCBs”; “Análise de pesticidas organoclorados, PCBs indicadores, dioxinas, furanos e dl-PCBs em amostras ambientais pelas técnicas de cromatografia a gás (GC) com detectores de captura de elétrons (ECD), espectrometria de massas (MS) e espectrometria de massas de alta resolução (HR-MS)”; “Estratégias de análise de novos POPs (PFOS/PFOA e PBDEs)”; “Análise de mercúrio em amostras ambientais (solo e sedimento) e amostras biológicas”; “Desreguladores endócrinos e atividade estrogênica” e “Preparo de amostras de leite e peixe para análise de PCBs”.