CETESB participa de evento comemorativo do Sindusfarma

A diretora-presidente Patrícia Iglecias abordou a atuação da companhia em Logística Reversa, Acordo SP e Programa ODS

Em comemoração ao Mês do Meio Ambiente, foi promovido, em 20/6, evento online pelo Sindusfarma – Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos. O encontro, no qual foram abordados temas sobre sustentabilidade, em especial, sobre a logística reversa de medicamentos, contou com a participação da diretora-presidente da CETESB, Patrícia Iglecias, sendo acompanhado por lideranças da área farmacêutica.

O presidente do Sindusfarma, Dr. Nelson Mussolini, deu as boas-vindas aos palestrantes e aos espectadores. Em sua fala inicial, destacou a logística reversa como exemplo de diálogo e de vontade entre as partes. “Temos a indústria, o atacado, o varejo – elos que precisam estar juntos para que as coisas funcionem e, aliás, elas estão funcionando.” Ressaltou que a logística reversa dos medicamentos já é uma realidade.

Patrícia Iglecias ressaltou a importância do trabalho conjunto para o sucesso da logística reversa dos medicamentos e como CETESB e Sindusfarma podem buscar soluções que atendam ao interesse da sociedade. Enfatizou que “tanto a viabilidade técnica quanto a viabilidade econômica são critérios legais a serem aplicados não apenas na logística reversa de medicamentos, mas também nos demais setores”.

O Estado de São Paulo, segundo a dirigente, é pioneiro nas tratativas de logística reversa. Já em 2015, por meio da Resolução SMA nº 45, publicada quando estava dirigindo a Secretaria do Meio Ambiente do Estado, vinculou-se a obtenção de licenciamento ambiental e a renovação de licenças à logística reversa. Esse modelo foi seguido por outros Estados, como Mato Grosso do Sul, Paraná e Piauí.

Houve um avanço muito grande, ressalta a presidente. “Saímos, em 2018, com cerca de 1.200 empresas aderentes a planos de logística reversa no estado de São Paulo para, no final de 2021, mais de 3.700 empresas. Se considerarmos aquelas que tem atuado no estado paulista mais de 5.400 empresas. Os planos apresentados foram de 27 para 234”.

A diretora-presidente abordou, ainda, o Acordo Ambiental São Paulo e o Programa ODS da CETESB. O Acordo SP lançado em 2019 conta hoje com mais de 1.300 aderentes voluntários. “O Acordo trouxe metodologias para que o setor possa reduzir suas emissões de gases de efeito estufa, reportar emissões evitadas e apresentar esses dados para a CETESB.”

A adesão ao Acordo traz uma visibilidade positiva aos setores envolvidos na agenda de redução emissão de gases de efeito estufa e comprometidos a auxiliar o Brasil a cumprir as metas do Acordo de Paris. A presidente reforçou o convite para que o setor de medicamentos possa aderir ao Acordo Ambiental SP.

Quanto ao Programa ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, da ONU, para 2030), a “CETESB coloca-se à disposição para auxiliá-los em como internalizar os ODS. Foram firmados termos de cooperação com setores para incentivar os ODS, como por exemplo com a ABICLOR e o SINDITEXTIL.

O evento contou com apresentações de Isamara Garcia Freitas, atuante da área de sustentabilidade do Grupo Eurofarma; de Luiz Grossmann, da Optionline; de Oscar Yasbek Filho, presidente executivo da ABAFARMA; de Francisco Celso Nogueira Rodrigues, diretor executivo da ABRAFARMA; de Fabrício Soler, consultor da ONU; de Diego Silva, do Sindusfarma; e mediação de Rosana Mastellaro, também do Sindusfarma.

Texto: Cris Leite
Printes: José Jorge