Agências ambientais paulista e francesa promovem evento paralelo à COP26, em Glasgow

Cerca de 40 participantes estiveram na “Sala dos Arcos”, no Hotel Radisson Blu, na cidade escocesa, em 05/11, para o encontro, que teve a presença do secretário estadual Marcos Penido e do senador Alexandre Giordano.

Hoje, 05/11, em mais um dia em que os olhares do mundo estão voltados para cidade de Glasgow, a CETESB – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo e a ADEME – Agência da Transição Ecológica, do Governo da França, promoveram um evento na cidade escocesa, paralelo à COP 26 – Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, com o tema “Acelerando a descarbonização corporativa: sinergias entre os setores público e privado e o futuro das bases regulatórias”.

No encontro, a diretora-presidente da agência ambiental paulista, Patrícia Iglecias, apresentou o Acordo Ambiental São Paulo e mediou as explanações de 14 “casos de sucesso” do programa, com resultados concretos de descarbonização. Seus ouvintes foram personalidades e autoridades ligadas à questão ambiental, entre elas o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Marcos Penido;; o senador Alexandre Giordano – representando o Presidente do Senado brasileiro; e o presidente da UNICA e da Câmara Ambiental de Mudanças Climáticas, Evandro Gussi.

Pela Divisão para Adaptação às Mudanças Climáticas, Planejamento Urbano e Caminhos de Baixo Carbono da ADEME, estiveram presentes Romain Poivet, coordenador da ACT Initiative, e Rocio Caicedo Torrado, gerente do Projeto.

A ACT Initiative fornece credibilidade em relação às habilidades de empresas para alcançar seus alvos de descarbonização. Conforme seus representantes, a ACT é a única iniciativa internacional que oferece uma estrutura de “responsabilidade climática”, para avaliar a estratégia de descarbonização da empresa e plano de transição. A ACT também permite equipar as empresas para definir e implementar essas estratégias e planos.

A diretora-presidente, Patrícia Iglecias, primeira representante do gênero feminino a presidir a CETESB, fez uma apresentação da Companhia, lembrando seus 53 anos de existência, período no qual alcançou prestígio como a maior agência ambiental da América Latina.

Destacou que a CETESB, além do licenciamento ambiental, exerce outras atividades importantes, como o monitoramento da qualidade ambiental, o atendimento às emergências químicas e a transferência de conhecimento, treinando anualmente centenas de técnicos e especialistas.

Ela chamou a atenção para o fato do Acordo Ambiental São Paulo, lançado em novembro de 2019, pelo Governo do Estado, por meio das Secretarias de Relações Internacionais e de Infraestrutura e Meio Ambiente, concebido e coordenado tecnicamente pela CETESB, com adesão inicial de 55 empresas e associações, mesmo em anos críticos com a pandemia que atacou o planeta, se expandiu consideravelmente e hoje agrega mais de 1.000 aderentes.

Para monitorar os desdobramentos do Acordo foi criada, no âmbito da CETESB, a Câmara Ambiental de Mudanças Climáticas, de forma a congregar essa gama de empresas e de instituições com o objetivo comum de estabelecer métricas e modelos de desenvolvimento econômico sustentável, discutindo as iniciativas e os esforços dedicados à redução dos GEE e sua quantificação e reporte.

“A realização desses eventos organizados pela CETESB paralelos à COP26 é parte de um processo que se iniciou há dois anos, quando o Acordo Ambiental São Paulo foi lançado. Uma experiência voluntária pode dar frutos e deflagrar ações significativas para redução de gases de efeito estufa. Lançar uma publicação especializada e ter a oportunidade de apresentar esses ‘cases’ num evento internacional é uma ação que visa acelerar ações concretas e alargar os horizontes para 2022. O fato dos encontros estarem acontecendo em Glasgow, nesse ano tão importante para a agenda de Mudanças Climáticas, demonstra o engajamento do Governo de São Paulo. Precisamos de mais ações concretas, e da parceria das empresas, associações e municípios”, ressaltou a presidente da Companhia.

Num primeiro evento paralelo à COP 26, promovido pelo Governo Paulista e a CETESB, no último dia 1º de novembro, também em Glasgow, foi lançada a publicação “Acordo Ambiental São Paulo – 56 cases de Sucesso” – confira: https://cetesb.sp.gov.br/blog/2021/11/01/governo-de-sao-paulo-lanca-publicacao-em-evento-paralelo-a-cop26/.

No segundo e último evento paralelo, em 05/11, houve a explanação de 14 dos 56 casos de sucesso descritos naquela publicação.

Os “cases” foram descritos por representantes das empresas, organizações e instituições aderentes ao Acordo Ambiental São Paulo, conforme a sequência seguinte:

“Renovabio e os biocombustíveis de baixo carbono no Brasil” – UNICA, Luciano Rodrigues; “Economia Circular: Inovação em Saneamento” – SABESP, Fabio Toreta; “Parques de Bioenergia Canavieira: viabilizando a transição energética” – RAÍZEN, André Valente; “Gestão de resíduos no Brasil: um caminho para energia limpa e sustentabilidade do carbono” – ORIZON, Milton Pilão; “Certificação HQE-AQUA e compensação de emissões de GEE durante a construção de novas lojas” – Leroy Merlin, Andressa do Espírito Santo Borba; “Geração de energia renovável e recuperação ambiental – o caso EMAE” – EMAE, Márcio Rea; “Recuperadores de refrigerante como estratégia de emissões evitadas de GEE no Estado de São Paulo” – ECOSUPORTE, Thiago Pietrobon; “Quando a agricultura encontra energia limpa“ – ECOSOLAR, Helena Barbosa; “Logística Reversa – Economia Circular – iniciativa sustentável: o caso da COLORMAQ”; “Economia Circular Carbono Neutro: Como a Braskem pode fazer parte da solução” – BRASKEM, Marina Rossi; “Jornada de descarbonização: análises e blockchain” – BlockC, Carlos Martins; “Emissões de GEE evitadas com a proibição de sacolas plásticas descartáveis na cidade de São Paulo” – APAS, Paulo Pompilio; “Gestão de resíduos sólidos: um contribuidor relevante para um futuro líquido zero” – ABRELPE, Carlos Roberto Vieira da Silva Filho; e “Logística reversa de cilindros refrigerantes – ABRAVA / Leonardo Cozac / Thiago Pietrobon”, em sessão moderada por Josilene Ferrer – CETESB e Rocio Caicedo Torrado – ADEME.

Alguns depoimentos dos representantes dos segmentos privado e público presentes ao evento:

UNICA – “O Acordo Ambiental de São Paulo, lançado em novembro de 2019, foi pioneiro na medida em que incentivou empresas paulistas a assumirem compromissos voluntários de redução de emissão de gases de efeito estufa, a fim de conter o aquecimento global, sustentando o comprometimento do Governo do Estado de São Paulo com as metas estabelecidas no Acordo de Paris”.

Marcio Rea, Presidente da EMAE – “O Acordo Ambiental de São Paulo é uma grande oportunidade para as empresas envidarem esforços para a diminuição de emissões de gases de efeito estufa e responderem, de forma assertiva, aos anseios da sociedade pela melhoria da qualidade do ar e da preservação do meio ambiente, contrapondo-se ao crescente aumento da temperatura global e suas consequências danosas a todos os seres vivos que habitam nosso planeta”.

SABESP – “A adesão ao Acordo Ambiental São Paulo é uma importante oportunidade de troca de experiências entre os setores, vindo ratificar o compromisso da SABESP de aprimoramento da sua Agenda Ambiental e Climática para mitigação das emissões dos Gases de Efeito Estufa, alinhado aos desafios da universalização do saneamento”.

ABSOLAR – “A fonte solar fotovoltaica, tanto nas grandes usinas solares quanto na geração própria de energia solar em edificações, residências, comércios, prédios públicos e zona rural, é ferramenta estratégica para contribuir com a redução de emissões de gases de efeito estufa, combate ao aquecimento global e para o desenvolvimento econômico e sustentável do Brasil, que possui um dos maiores potenciais solares do mundo”.

RAÍZEN – “Para reduzir drasticamente as emissões globais de GEE e combater as mudanças climáticas, ações imediatas devem ser tomadas pela sociedade, empresas e governos. Nesse contexto, a Raízen, como uma das maiores empresas do Brasil, reconhece sua responsabilidade e potencial de catalisar a descarbonização e destaca seu apoio ao Acordo Ambiental São Paulo”.

ABRAVA – “O setor de Refrigeração, Ar-Condicionado, Ventilação e Aquecimento tem se mostrado estratégico para a mitigação e adaptação contra as mudanças do clima. A adesão ao Acordo de São Paulo tem nos permitido canalizar esforços, sistematizar resultados e identificar as oportunidades de contribuição enquanto setor, facilitando o seu engajamento”.

APAS – “As mudanças climáticas entraram definitivamente na agenda de todos os negócios, com especial atenção para a segurança alimentar, que está na essência do setor supermercadista. Por meio do Acordo de São Paulo, assim como temos trabalhado nos termos de compromisso para logística reversa com a CETESB, para economia circular, buscaremos avançar na universalização do conhecimento”.

ECOSUPORTE – “O Acordo de São Paulo nos permitiu construir pontes entre instituições, ações e atores, potencializando resultados, de forma a tornar mais viável, a cada dia, a mudança que o mundo precisa”.

ECOSOLAR – “Para nós da EcoSolar, participar do Acordo Ambiental representa a oportunidade de nos comprometermos com a sociedade na construção de uma economia sustentável”.

BRASKEM – “O Acordo Ambiental São Paulo é uma iniciativa que fomenta as empresas a assumirem e a publicarem suas metas de redução de emissões de gases de efeito estufa, em linha com os anseios da sociedade”.

Finalmente, para Josilene Ferrer, assessora da Presidência da CETESB e secretária-executiva da Câmara Ambiental de Mudanças Climáticas, que se encontra em Glasgow, “o debate iniciado nesse evento com a participação de especialistas da ADEME, reforça o esforço de construção de capacidades para nosso estado. As experiências de mercado de carbono nos países e estados subnacionais tendem a ser fortalecidas. Estamos no caminho certo para preparar o Acordo Ambiental São Paulo e lidar com novos desafios. Precisamos acelerar o processo de descarbonização no Estado, e oferecer para as empresas mais opções para redução de emissões”.

Alexandre Giordano, Marcos Penido, Patrícia Iglecias, Marcio Rea, Mario Mantovani em evento paralelo à COP26 – Glasgow.

Evento paraleo COP26 – Glasgow – Escócia

Palestra no encontro Provendo a Descarbonização Corporativa

Patrícia Iglecias, Marcio Rea, Senador Alexandre Giordano

Texto: Mário Senaga