Acordo Ambiental SP é apresentado em evento com a Universidade do Algarve

Na webconferência, foram divulgadas experiências de projetos sustentáveis na cidade de Lagos, sul de Portugal, e em São Paulo, com destaque para o Acordo Ambiental SP, que visa reduzir emissões de gases de efeito estufa.

A diretora-presidente da CETESB, Patrícia Iglecias, participou, em 07/04, da abertura oficial do seminário internacional “Ação para a Mitigação e Adaptação às Alterações Climáticas”, organizado pelo Cinturs – Centro de Investigação em Turismo Sustentável e Bem-Estar, da Universidade do Algarve, Portugal, em conjunto com a agência ambiental paulista.

O evento, em formato on-line, insere-se no âmbito do projeto SusTowns: Turismo Sustentável em pequenos povoados do Mediterrâneo, envolvendo 14 regiões europeias e 11 parceiros de um total de 7 países – Itália, Espanha, Croácia, Eslovênia, Grécia, Albânia e Portugal – com o objetivo de sensibilizar a comunidade em geral e, em particular, os diferentes atores do município de Lagos, onde as metodologias estão sendo testadas e validadas.

Em sua fala inicial, Patrícia Iglecias frisou que a realização do evento foi de suma importância, uma vez que a parceria permite um contato mais efetivo com experiências de Portugal nas ações de adaptações às alterações climáticas.

“Por feliz coincidência advinda do mundo acadêmico, estamos tendo a participação, como moderadora, da professora Manuela Rosa, coordenadora da área científica de Ordenamento do Território, Planejamento e Arquitetura no Instituto Superior de Engenharia da Universidade do Algarve e Diretora da Pós-graduação em Cidades Sustentáveis, justamente uma das docentes no curso on-line que a CETESB promove sobre Crise Climática, e que já está na quarta edição com muito sucesso”, afirmou a diretora.

A dirigente completa que “são ações que exercitam o que preconiza os ODS 13 e 17, do programa da ONU – Organização das Nações Unidas, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS, estabelecidos em 2015 e que compõem uma agenda mundial para a construção e a implementação de políticas públicas que visam inspirar a humanidade até 2030.

Patrícia Iglecias finalizou ponderando que a construção da via a fim de reduzir as emissões e preparar os municípios para as adaptações às alterações climáticas necessita de investimento de tempo e recursos, “tomar contato com as boas práticas de quem já iniciou há mais tempo é rico para nós”.

Segundo Patrícia Pinto, coordenadora do CinTurs, o webinar dirigido ao meio empresarial e autoridades de organizações públicas, “busca disseminar boas práticas de ação para a mitigação e adaptação às alterações climáticas, procurando beneficiar, a exemplo de Lagos, outros municípios que procurem implementar Planos Municipais de Adaptação às Alterações Climáticas contribuindo para um turismo sustentável”.

Acordo Ambiental SP

Coube à Josilene Ferrer, assessora da presidência da CETESB, apresentar a todos o Acordo Ambiental São Paulo, lançado em 2019 pelo Governo do Estado e coordenado tecnicamente pela Agência Ambiental Paulista. A adesão ao programa é voluntária, de empresas localizadas e/ou com atuação no estado brasileiro, de associações que representam setores produtivos e de municípios. Os participantes assumem compromissos de redução de emissão de gases de efeito estufa, para conter o aquecimento global abaixo de 1,5°C, conforme preconizado pelo Acordo de Paris.

Inicialmente, com 55 aderentes, hoje conta com 1.634 adesões, incluindo associações empresariais, Câmara de Comércio, empresas e 134 municípios. Recentemente, também foi lançada a publicação bilíngue “56 Cases de Sucesso na Agenda Climática”, anteriormente apresentada em Glasgow durante a COP 26, e que contém as experiências de empresas e associações nas ações de redução de emissões de GEE na economia paulista.

Empenhado em acolher novos aderentes ao Acordo, a CETESB também vem ampliando o curso de capacitação de técnicos municipais, o qual terá uma terceira turma com temática de crise climática disponível para municípios, em agosto próximo. “Quando esse ciclo 2021 e 2022 se encerrar, teremos cerca de 80 prefeituras com especialistas em sustentabilidade formados por nós, com a oportunidade de ampliar sua capacitação nessa agenda”, afirmou Ferrer.

Os objetivos da capacitação, conteúdo programático e inscrições estão disponíveis no link: https://tinyurl.com/bdhns964

Finalmente, buscando o fortalecimento técnico na agenda de recursos hídricos na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e Baixada Santista, foram iniciados dois projetos com apoio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos – FEHIDRO e da CETESB.

O evento teve como oradores Adão Flores, investigador do CinTurs e coordenador do Projeto Sustowns; e Luís Duarte e Nuno Marques, da Câmara Municipal de Lagos, que apresentaram as ações desenvolvidas pelo município do sul de Portugal, dentro do projeto-piloto de adaptação às mudanças climáticas, com ações práticas de redução de perdas de água e energia, entre outras ações.

O encerramento oficial do evento coube ao presidente da câmara legislativa portuguesa, Hugo Pereira. A sessão foi transmitida pelo canal da CETESB no Youtube.

Texto: Renato Alonso
Revisão: Cristina leite/Cristina Couto
Printes: José Jorge.