CETESB busca aprofundar parcerias em Glasgow de forma a fortalecer a luta pela redução da emissão de gases de efeito estufa

Encontros e reuniões com autoridades e especialistas fazem parte da agenda desta semana na cidade que está sediando a COP 26

Dando continuidade aos eventos promovidos pela CETESB e o Governo do Estado de São Paulo em Glasgow (Escócia) nos últimos dias 1º e 5 de novembro, nesta semana a agência ambiental paulista não só acompanha a realização da COP26 (26ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas), como aproveita para fortalecer o contato e promover o intercâmbio com agências ambientais de outros países, visando acelerar as ações em 2022 e ampliar a capacitação dos participantes do Acordo Ambiental São Paulo.

O Acordo Ambiental SP, lançado em novembro de 2019, pelo Governo do Estado, por meio das Secretarias de Relações Internacionais e de Infraestrutura e Meio Ambiente, e concebido e coordenado tecnicamente pela CETESB, contou inicialmente com a adesão de 55 empresas e associações, e hoje agrega 1.337 aderentes, entre entidades, empresas e municípios, num amplo programa voluntário de redução de emissões de gases de efeito estufa (GEEs).

Os dois eventos promovidos pelo Estado de São Paulo na semana passada na cidade escocesa, paralelamente à COP26, focaram justamente o projeto. Um deles para o lançamento da publicação “Acordo Ambiental São Paulo – 56 cases de Sucesso”, distribuída a autoridades e especialistas presentes e, o segundo, destacando 14 daqueles “cases”, com a cerimônia conduzida pelo diretora-presidente da CETESB, Patrícia Iglecias.

Nesta segunda semana de realização da COP, a CETESB continua acompanhando a Conferência por meio da sua equipe técnica composta por Maria Fernanda Pelizzon e Josilene Ferrer.

Conforme Ferrer, coordenadora técnica do Acordo Ambiental SP, um dos objetivos dessas reuniões foi possibilitar a construção de uma agenda conjunta da agência ambiental paulista com a estatal francesa de proteção do meio ambiente, para 2022. Pela Divisão para Adaptação às Mudanças Climáticas, Planejamento Urbano e Caminhos de Baixo Carbono da ADEME – Agência da Transição Ecológica – , do Governo da França, foram interlocutores Romain Poivet, coordenador do projeto ACT Initiative, e Rocio Caicedo Torrado, gerente do projeto.

A ACT Initiative fornece credibilidade em relação às habilidades de empresas para alcançar seus alvos de descarbonização. Conforme seus representantes, a ACT é a única iniciativa internacional que oferece uma estrutura de “responsabilidade climática”, para avaliar a estratégia de descarbonização da empresa e plano de transição. A ACT também permite equipar as empresas para definir e implementar essas estratégias e planos.

Segundo a diretora-presidente da CETESB, Patrícia Iglecias, “essa interação com a ADEME possibilitará à CETESB alargar seus horizontes, pois a estatal francesa está há anos convivendo com uma legislação climática consolidada e certamente tem o que nos ensinar. Por outro lado, o vigor da adesão das empresas ao Acordo Ambiental São Paulo também causou uma forte e positiva impressão aos representantes franceses durante o nosso ‘side event’ conjunto”.

A dirigente ressaltou que “a COP26 acontece em um momento desafiador, por um lado, uma pandemia que não teve seu desfecho, por outro lado, as mudanças climáticas, que são a cada dia mais evidentes para os habitantes do planeta. Porém, existe uma convergência e um objetivo que é comum, reduzir drasticamente as emissões dos gases de efeito estufa”.

Para Patrícia Iglecias, “além das negociações em curso em Glasgow, que irão pavimentar o rumo das próximas décadas de políticas públicas e privadas, para enfrentamento dessa agenda, uma COP é um ambiente propício para alavancar cooperações e recursos para investimento nessa agenda. A CETESB está ativa e se preparando para o desempenho que se espera da Companhia nesse momento”.

Josilene Ferrer também participou de encontros organizados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), que contou com a presença, entre outros, do cônsul honorário do Brasil em Glasgow, Paulo Quadros, que também colaborou na organização dos eventos promovidos pela agência ambiental paulista na Escócia, e da coordenadora de Mudanças Ambientais Globais do Ministério, Lidiane Melo.

Do secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Marcelo Marcos Morales, representando a agência ambiental paulista, ela recebeu o documento “Resultados do Inventário Nacional de Emissões de Gases de Efeito Estufa por Unidade Federativa”, 10ª parte da 4ª Comunicação Nacional do Brasil a UNFCCC.

Ela participou, ainda, de encontros ocorridos no “Brazil Climate HUB”, espaços paralelos de empresas e ONGs brasileiras com lideranças femininas, na COP. Segundo Ferrer, “essa COP traz um cenário auspicioso, com a participação vigorosa dos estados subnacionais. São Paulo realizou seus eventos na primeira semana da COP e apresentou projetos e ações em consonância com a movimentação internacional para redução de gases de efeito estufa. Outros estados como Minas Gerais, Para, Bahia também trouxeram delegações ativas e estão fazendo sua lição de casa.”

Presidente da CETESB entrega publicação para o cônsul honorário do Brasil em Glasgow, Paulo Quadros

Josilene Ferrer recebe Inventário Nacional das mãos de Marcelo Marcos Morales, do MCTI

 

Texto: Mário Senaga
Fotos: Josilene Ferrer