A questão ambiental

A ocorrência de vazamentos em SASC’s tem sido objeto de crescente preocupação, em função dos riscos associados a esses eventos, tanto para a segurança e saúde da população, como para o meio ambiente.

Estes eventos se manifestam, na grande maioria dos casos, tanto como contaminações superficiais provocadas por constantes e sucessivos derrames junto às bombas e bocais de enchimentos dos reservatórios de armazenamento, como pelos vazamentos em tanques e tubulações subterrâneas. Geralmente são percebidos após o afloramento do produto em galerias de esgoto, redes de drenagem de águas pluviais, no subsolo de edifícios, em túneis, escavações e poços de abastecimento d’água, razão pela qual as ações emergenciais requeridas durante o atendimento a essas situações requerem a participação de diversos órgãos públicos, além do envolvimento do agente poluidor e suas respectivas subcontratadas.

Além dos riscos de explosão, incêndio e à saúde pública, esses vazamentos podem acarretar sérios impactos ambientais devido à contaminação do solo e das águas subterrâneas, comprometendo a qualidade dos recursos hídricos e seu uso para o abastecimento.

Quaisquer ações preventivas ou em caráter de emergência a serem desenvolvidas pelos órgãos públicos, visando preservar a saúde pública ou o meio ambiente, dependem diretamente do grau de conscientização dos proprietários dos estabelecimentos comercializadores de combustíveis automotivos que devem comunicar prontamente os vazamentos.

O estudo das causas geradoras dos vazamentos é fundamental na solução desta problemática. Com base no levantamento de dados relativos a eventos passados, é possível estabelecer diretrizes que irão nortear a correção das falhas operacionais e o aprimoramento dos equipamentos que integram os sistemas de armazenamento subterrâneo de combustíveis.